TELEFONE

(71); 3352-1112 / 3359-1112

O que é um “preventivo”?

Como o nome sugere, trata-se basicamente de um exame de prevenção do câncer de colo uterino, serve também para detectar outras patologias da vagina e do colo do útero, como processos infecciosos, DSTs e também avaliação dos níveis hormonais. É realizado com a coleta de material do colo do útero para realização de citologia e microflora. Pode ser complementado pela colposcopia, exame que permite visualizar o colo uterino, a vagina, a vulva, o períneo, a região perianal e, no homem, o pênis, através de um aparelho, o colposcópio, que aumenta a imagem de 10 a 40x. Deve ser realizado anualmente por todas as mulheres com ou sem atividade sexual.

As infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) têm uma característica comum: a transmissão sexual. Podemos citar: sífilis, gonorreia, herpes, infecção pelo HPV, hepatite B, AIDS, dentre outras. A prevenção é feita com o uso de preservativos (camisinha). O tratamento ou controle depende da IST.

É um tipo de vírus que é transmitido sexualmente, que pode se alojar no colo do útero, vagina e vulva. Na vulva e vagina ele causa uma doença chamada condiloma genital ou “crista de galo”, caracterizada pela presença de verrugas genitais. O importante é que quando instalado no colo uterino existe uma associação com alguns tipos de HPV e câncer de colo de útero. O diagnóstico é feito através do exame preventivo (citologia e colposcopia), sendo necessário, às vezes, biopsia das áreas suspeitas e realização de exames que identificam o tipo de vírus envolvido. O tratamento é através da destruição química ou física das lesões. É importante que o parceiro seja encaminhado para uma avaliação com um urologista, onde um exame chamado penioscopia identifica áreas suspeitas de condiloma.

Os fungos são microrganismos que podem existir nos genitais causando doença ou não. A Candida albicans é responsável por cerca de 90% das infecções e até 50% das mulheres infectadas podem não ter sintomas. A transmissão pode ser sexual, pode ser autógena (por exemplo mulheres que têm candidíase intestinal e transmite para a vagina), e a inflamação normalmente é desencadeada por fatores predisponentes, como gravidez, diabetes, vestuário inadequado (principalmente uso de roupas sintéticas), uso de antibióticos ou de anticoncepcionais, clima quente, etc. O tratamento é feito com drogas antifúngicas e correção dos fatores predisponentes. A candidíase de repetição pode perturbar as pacientes e ser de difícil tratamento.

O câncer de mama está relacionado com altas taxas de morbi/mortalidade entre as mulheres. Métodos de prevenção: amamentação, autoexame, exames médicos de rotina – mamografia, a partir dos 35 anos de idade, citologia mamária, quando presente, secreção dos mamilos.

É a melhor e mais fácil maneira de se detectar os tumores de mama nas fases iniciais. Deve ser feito uma vez por mês, sempre uma semana após o término da menstruação ou se você não mais menstrua, sempre no mesmo dia do mês. O objetivo do exame é fazê-la conhecer a textura de sua mama. Isso permitirá que você perceba uma “mudança”. Quando isso ocorrer procure seu médico.

É uma doença maligna no colo uterino causada por alterações celulares que tem uma progressão gradativa, por isso é uma doença curável, quando descoberta no início. Previne-se com a realização do exame preventivo ginecológico, devendo a mulher visitar regularmente o seu ginecologista, no mínimo uma vez por ano.

No caso de pílulas e injetáveis mensais, não. A partir do momento que se suspende o uso, a mulher voltará a ovular. Quando se usa injetáveis trimestrais a fertilidade pode demorar um pouco para voltar.